Não se pode dizer que tenha havido surpresas: felizmente, porque a haver seriam certamente más surpresas…

Le Pen ficou em 4º, com uma metade dos votos de 2002, mas ainda assim 11% (cerca de 3 milhões de votos).

O que me chocou foi o facto de Sarkozy e Le Pen (nas devidas proporções) terem tido votações muito elevadas nas cidades da periferia de Paris, precisamente onde o Ministro Sarkozy causou mais problemas: Saint-Denis, La Courneuve, etc. Há coisas que eu simplesmente não entendo.

Neuilly não me espanta, Sarkozy teve 72%: imaginem as vivendas do Restelo aumentadas exponencialmente, isso é Neuilly. Um antro, portanto.

A esquerda ficou toda dividida, coisa que também não entendo. Como é que o Besancenot e o Bové não se entenderam…? (E não, uma tipa que defende campos militarizados para jovens não cabe na minha definição de esquerda.) Deu merda da grossa, desculpem-me a expressão. O Besancenot manteve a votação anterior, não cresceu quase nada. O Bové quase não teve votos, e os restantes candidatos de esquerda também não.

Não estou lá, e depois de hoje tenho ainda menos saudades, se é que isso é possível! Se votasse, tinha tido um dilema na primeira volta (Bové/Besancenot). Na segunda, estaria dividida entre o voto útil para o fascista Sarkozy não ganhar e o nojo de votar na tipa de direita que defende campos militarizados.

Anúncios