O texto do Daniel é claro e conciso, aliás todo o caso se explica a si próprio.

Eu não ía dizer mais nada… mas não resisto. Imagino a cabeça do tipo às voltinhas: “Já um gajo não pode subornar um eleito à vontade, pá! A gente anda aqui na nossa vidinha… sim, qu’isto é a nossa vidinha, pá! Sempre foi assim, e agora põem-se com esquisitices porquê? Sempre foi assim, é um esquema porreiro, toda a gente ganha, pá!” 

Anúncios