Fiquei muito bem impressionada com o Metro do Porto. Estações limpas, comboios sempre a passar. Do ponto de vista do turista a rede é boa, não tenho conhecimento suficiente da cidade para perceber se é funcional para os habitantes do Porto e grande Porto.
Mas o que realmente me impressionou foram os modos de pagamento das viagens. Até parece o resto do mundo! Como é óbvio para qualquer cidadão de qualquer cidade, excepto da grande Lisboa, compra-se um bilhete ou um passe por zonas e com esse bilhete podem percorrer-se as zonas correspondentes em qualquer transporte público que lá passe! Não há passes só para o Metro, mas se por acaso passar o autocarro já não dá e se quiser ir de barco ou de comboio, então ainda é outra coisa…
Nada disso! É simples como em qualquer outro sítio. Zona 1 e 2: dá para os transportes que passam nas zonas 1 e 2. Zonas 1 a 3: surpreendentemente para mim, alfacinha de gema, dá para qualquer transporte que passe nas referidas zonas. E assim por diante.

Que o sistema seja assim no Porto (ou em qualquer outro sítio) é óbvio. O que não é nada óbvio nem simples é perceber porque raio não é assim em Lisboa!

Espero não ter que esperar mais dois anos para ter um bom pretexto para ir ao Porto. E espero que da próxima não seja em trabalho, porque desta vez a única visita que fiz foi a S. Bento, ao Piolho e ao Capas Negras. Tenho que ir ver por dentro a igreja românica em Cedofeita.

Anúncios