O Portas voltou a enganar-se na dose de lixívia para branquear o 25 de Novembro na cabeça da criança!

Apetece gozar com isto, puxar as orelhas ao miúdo e mandá-lo para casa com uma fralda e uma chucha. O problema é que ele provavelmente é inimputável.

Repare-se: o tipo levanta-se, vai para a frente de uma sala cheia, pega num microfone e o que lhe sai é isto, sem qualquer vergonha nem hesitação. Imaginem a situação por um instante, visualisem para perceber a extensão do ridículo! Não sabe, não tem qualquer ideia nem consciência do que está a dizer!

Mas não devemos gozar com a desgraça alheia e a total ausência de capacidades cerebrais é talvez uma das piores coisas que pode acontecer a uma pessoa.

Além disso, se o país mantiver a coerência, este tipo ainda acaba por chegar a Presidente da Câmara, Primeiro-Ministro nomeado ou mesmo líder parlamentar.

 

Anúncios