O ex-Ministro do Mar, Paulo Portas, veio há dias contar uma história. Teve azar, porque a história que ele contou é a minha. E digo azar, porque só contou metade, como lhe acontece amiúde.

Diz ele que durante o governo Sócrates, um jovem que há um ano tinha um contrato, hoje não o tem e não tem sequer acesso ao subsídio de desemprego. Certo, tem toda a razão. Confirmo que, não há um ano mas há alguns meses, eu tinha um contrato e que, findo o contrato não tive acesso ao subsídio de desemprego. Eu e milhares de pessoas de todas as idades.

E agora passemos ao que ele não contou. O ano passado  eu e os restantes na minha situação recebemos ainda assim o suficiente para termos IRS a pagar.  E o montante pago serve para quê? Para melhorar a atribuição de prestações sociais a quem necessita, para melhorar a rede de cuidados de saúde ou a educação, para dar algum benefício aos cidadãos em qualquer quadrante útil da sua vida????

Em parte, sim… Mas serve principalmente para afundar em submarinos, multas vergonhosas e despesas inúteis afins da exclusiva responsabilidade deste ex-Ministro tão preocupado com os jovens desempregados.

E já agora não quero deixar de dar mais uma vez os parabéns ao ex-Ministro do Mar, condecorado pelo Bush (o que para qualquer pessoa decente seria um insulto, mas ele foi lá aceitar a condecoração). A decisão sobre o Women os Waves foi uma das mais eficientes de toda a história governativa do país. Conseguiu de uma só vez envergonhar e endividar o país!

Anúncios