… além de que eu quero despachar já o assunto e não ter que pensar nisso no MEU dia de anos: a um antigo Primeiro-Ministro, que dizia em 2002 que os funcionários públicos, mas sobretudo os funcionários públicos reformados – sendo que o próprio acumula ambas as qualidades (olha a lata), saem muito caros ao país e que “só nos resta esperar que morram”.

Não acha que é um gasto insustentável para o país tê-lo como PM reformado, professor universitário reformado e ainda PR no activo a dois anos da reforma? Como é que o erário público pode suportar tais encargos?

Aguardamos, pois. Esperamos não ter que nos sentar. Faça o favor de não nos desiludir na única coisa em que concordamos…

Anúncios