Nous, on est déjà au XXIème, mais vous avez bien le temps de ratrapper, si vous vous en mettez vite fait!

Das coisas que mais me irritavam em França, esta ganhava. Socialmente, sempre que não estava num grupo que se tratasse na base do primeiro nome, as apresentações tinham uma ordem específica:
1) Mme ou mlle: casada ou solteira, pertence a um pai ou a um marido? Antes de tudo, a primeira coisa a declarar era casada ou solteira!
2) Apelido: nome do dono.
3) já não temos tempo… nem é nada de importante

Nos formulários oficiais, impostos, segurança social, universidade, qualquer coisa: no cabeçalho, primeira pergunta, antes do nome, antes de tudo, mme, mlle ou m. Se for mulher tem que declarar à cabeça se é casada ou solteira. Antes de tudo. Ainda não tem nome, não tem idade, não tem rendimentos a declarar, mas já tem dono.

Eu chamava-lhe primitivismo, filha da putice, medievo no pior dos sentidos, machismo inculcado nas carolas. Bestialidade. A avaliar pelos comentários que a ministra que propôs a abolição teve que ouvir, fui muito meiguinha no que lhes chamei. Bom… será que o hexágono chega algum dia ao século XXI?

Anúncios